Sob investigação, diretor dos Correios no Rio é afastado

O diretor regional dos Correios no Rio de Janeiro, Omar de Assis Moreira, foi afastado do cargo na última sexta-feira, 14 devido a uma investigação que está sendo feita pelo Ministério Público Federal sobre supostas irregularidades na gestão do plano de saúde da empresa no Rio de Janeiro.

FÁBIO GRELLET, Estadão Conteúdo

17 Novembro 2014 | 16h58

Segundo o jornal Extra" denunciou em 2013, Moreira é suspeito de participar de um esquema de fraude que envolve superfaturamento de procedimentos médicos e pagamento em 30 dias de faturas que teriam o prazo de 90 dias para serem quitadas. Em troca, assessores do diretor recebiam uma porcentagem do valor pago pela empresa aos hospitais. O esquema teria envolvido cerca de R$ 15 milhões. A denúncia foi levada ao Ministério Público pelo sindicato dos funcionários dos Correios no Rio.

Em nota, a empresa afirma que a investigação da Polícia Federal "foi solicitada em junho de 2013 pelo próprio diretor regional Omar de Assis Moreira". Segundo os Correios, "o diretor também determinou a abertura de processo interno de sindicância, atualmente conduzido em Brasília e acompanhado pela Controladoria Geral da União (CGU), e constituiu grupo de trabalho para apoiar as investigações da PF".

O texto também afirma que "a Administração Central dos Correios em Brasília encaminhou denúncia sobre o caso ao Ministério Público Federal em setembro de 2013". O afastamento não tem prazo determinado - dependerá da conclusão da investigação pela Polícia Federal. Nesse período, Moreira será substituído por Márcio Miranda Vieira da Rosa, informou a empresa.

Mais conteúdo sobre:
Correios Rio diretor afastamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.