Sob risco de desabar, cadeia de Assis será desocupada

O juiz Ruy Camilo, corregedor dos presídios da comarca, baixou portaria estabelecendo prazo de 60 dias para a desocupação do prédio da cadeia pública de Assis, que apresenta problemas de conservação e riscos de desabamento. A medida proíbe a entrada de novos detentos e impõe urgência na transferência dos 46 atualmente recolhidos às celas do prédio.A velha cadeia até agora abrigava também os presos das vizinhas Palmital e Paraguaçu Paulista, cujos presídios foram fechados, também por má conservação. Já chegou a recolher 100 detentos num espaço que oficialmente comporta 48. Para atender à ordem judicial, os novos presos de Assis e municípios vizinhos passarão a ser recolhidos nas cadeias de Bernardino de Campos e Gália, distantes 114 e 124 quilômetros, respectivamente.

JAIR ACEITUNO, ESPECIAL PARA O ESTADO, Agencia Estado

28 de junho de 2008 | 12h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.