Sobe para 28 número de mortos pela chuva em Petrópolis

Subiu para 28 o número de mortos em decorrência das chuvas em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, informaram nesta quarta-feira a Secretaria de Estado de Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros Militar estadual.

Reuters

20 de março de 2013 | 16h53

A forte chuva que caiu sobre a Região Serrana do Rio no domingo e madrugada de segunda-feira causou 21 pontos de escorregamento ou alagamento em Petrópolis, cidade mais atingida pelo temporal.

"Os trabalhos de busca seguem na localidade de Quitandinha", disseram em nota a Defesa Civil e os bombeiros.

Sem chuvas nesta quarta-feira, o Corpo de Bombeiros intensificou as buscas a quatro pessoas que ainda estão desaparecidas em Petrópolis, segundo comunicado no site do governo do Estado.

Um total de 250 homens concentra seus trabalhos de resgate no bairro Quitandinha.

Além de Petrópolis, também foram atingidos os municípios fluminenses de Angra dos Reis, Mangaratiba, Niterói e Teresópolis. Cidades do litoral norte de São Paulo e da Baixada Santista também sofreram os efeitos da chuva, mas sem registro de mortes.

A Região Serrana do Rio foi atingida em janeiro de 2011 pelo maior desastre climático da história do país, quando um outro temporal de grandes proporções deixou quase mil mortos e destruiu diversas casas, além de alterar a geografia e a topografia de bairros e localidades urbanas e rurais.

No início do ano passado a chuva também deixou vítimas na região, onde diversas obras de prevenção a desastres prometidas após a tragédia de 2011 ainda não foram feitas. Em alguns locais de risco foram implantados sistemas de sirenes que, segundo as autoridades, contribuíram para uma redução no número de vítimas das chuvas.

(Por Tatiana Ramil, em São Paulo)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALMORTOSPETROPOLIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.