Sobe para oito número de mortos em temporais no Sul

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul (RS) confirmou no início desta tarde a oitava morte em decorrência dos temporais que atingiram a região Sul do País na noite de ontem. A vítima é Rodrigo Irion Bezerra, de 34 anos, morto em acidente aéreo.

AE, Agencia Estado

20 de novembro de 2009 | 16h53

A aeronave que Rodrigo conduzia foi derrubada pelo temporal nas proximidades da cidade de Uruguaiana, a 649 quilômetros da capital. O acidente aconteceu por volta das 19 horas de ontem. Rodrigo foi levado com ferimentos graves à Santa Casa de Uruguaiana, mas não resistiu aos ferimentos. Os bombeiros afirmaram que a aeronave bateu contra fios de alta tensão durante a queda.

As chuvas de ontem, acompanhadas de rajadas de vento de mais de 100 km/h em alguns locais, arrancou telhados, derrubou árvores e postes e alagou estradas em diversos municípios. No Rio Grande do Sul, até agora foram confirmadas sete mortes. Há ainda 30 mil pessoas desalojadas e 1.550 desabrigadas, segundo a Defesa Civil. No município de Cidreira, no litoral norte do Estado gaúcho, um adulto morreu e o teto de uma escola caiu sobre uma sala de aula, ferindo levemente 30 crianças.

Em Santa Catarina, foi confirmada uma morte até o momento. Trata-se de uma mulher de 56 anos que foi atingida por uma árvore que caiu em Tubarão. Ela foi levada a um hospital, mas morreu nesta madrugada. A Defesa Civil do Estado registrou 120 atendimentos entre alagamentos, quedas de árvore e riscos de desabamento. Antes das chuvas, Santa Catarina registrou a temperatura mais elevada do ano. Em Morretes, no litoral, os termômetros marcaram 41,7ºC segundo o Instituto Meteorológico Simepar.

No Paraná, os bombeiros ainda procuram por duas pessoas que desapareceram depois que o principal rio de Curitiba, o Belém, e alguns dos seus afluentes transbordaram, derrubando uma ponte e abrindo uma cratera. Com o desabamento, três carros foram arrastados pelas águas e caíram em um córrego. Apenas os dois ocupantes de um Gol continuam desaparecidos. O carro já foi localizado, mas os bombeiros enfrentam dificuldades para ter acesso ao veículo e confirmar se as vítimas ficaram presas ou conseguiram escapar. Cerca de 30 familiares do casal acompanham os trabalhos de resgate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.