Soja fecha em baixa em Chicago após estimativa de safra maior do Brasil

Os futuros da soja fecharam em baixa nesta sexta-feira na bolsa de Chicago, registrando uma mínima de seis meses, após o governo dos EUA elevar a previsão de safra do Brasil para um recorde, assim como aumentar a estimativa de colheita norte-americana.

Reuters

11 de janeiro de 2013 | 20h15

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) elevou a previsão da safra norte-americana de 2012 para 3,015 bilhões de bushels (82,05 milhões de toneladas), acima das expectativas do mercado e contra 2,971 bilhões de bushels da previsão em dezembro.

O USDA também elevou a sua previsão de safra 2012/13 do Brasil para 82,5 milhões de toneladas, ante 81 milhões em dezembro, embora tenha reduzido a projeção da colheita argentina em 1 milhão de toneladas, para 54 milhões de toneladas.

Contando com preços altos no ano passado, produtores brasileiros plantaram uma área recorde na temporada 12/13, cuja colheita está em seu início. O tempo tem colaborado com os agricultores até o momento, de uma forma geral.

O março da soja fechou em baixa de 0,5 por cento, a 13,7325 dólares por bushel.

Já os futuros do milho fecharam em alta por dados altistas de estoques nos EUA.

O contrato março subiu 1,5 por cento, a 7,095 dólares por bushel.

O trigo também subiu devido a uma área de trigo de inverno menor que a esperada. O contrato março ganhou quase 2 por cento, encerrando a 7,65 dólares por bushel.

Mais conteúdo sobre:
COMMODSSOJAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.