Soldados das Coreias do Sul e do Norte trocam tiros na fronteira

O Ministério da Defesa sul-coreano afirmou que houve troca de tiros entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte neste domingo, depois que soldados do Norte se aproximaram da fronteira militar entre os países e não recuaram ao escutarem tiros de advertência disparados pelos militares do Sul.

REUTERS

19 de outubro de 2014 | 15h17

Os norte-coreanos revidaram em uma troca de tiros que durou por volta de dez minutos, mas a situação acabou não se agravando, afirmou o porta-voz do ministério. "Não houve nenhuma vítima ou dano à propriedade", disse.

O incidente é o mais recente de uma série de confrontos nas últimas semanas entre as Coreias rivais, que permanecem tecnicamente em estado de guerra, e acontece imediatamente após um encontro emergencial realizado entre oficiais militares na última quarta-feira para discutir como aliviar as tensões.

No sábado, soldados norte-coreanos já haviam se aproximado da chamada Linha de Demarcação Militar, que separa os dois países, mas recuaram depois que a Coreia do Sul respondeu com tiros de advertência, acrescentou o porta-voz do ministério.

No começo do mês, os dois lados trocaram tiros depois que um barco da patrulha norte-coreana atravessou a fronteira marítima e acessou uma área que a Coreia do Norte há muito tempo reivindica como sua e onde, no passado, batalhas deixaram milhares de mortos em ambos os lados.

Também foram registrados tiros entre as partes depois que ativistas do Sul atiraram de um balão vários panfletos com propaganda anti-Pyongyang, no último dia 10.

A expectativa é de que seja realizado um encontro importante entre as duas Coreias em breve. Segundo especialistas, as atitudes recentes do Norte, fortemente militarizado, são sinais de que Pyongyang vai buscar vantagens nos acordos com o Sul, mais rico e desenvolvido.

(Reportagem de Ju-min Park e Jack Kim)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOCOREIASULNORTETROCATIROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.