Sombra de Bento XVI paira no conclave

Secretário particular do papa emérito estava na Capela Sistina pouco antes de votação começar e chamou a atenção de vaticanistas e críticos

VATICANO, O Estado de S.Paulo

14 de março de 2013 | 04h15

Quando renunciou ao mais alto cargo na Igreja, o papa emérito Bento XVI prometeu que ficaria "escondido do mundo". O alemão, no entanto, participou do processo de escolha do novo pontífice e se reunirá hoje com seu sucessor, Francisco, em Castel Gandolfo, onde está desde que deixou o trono de Pedro.

Ontem, em sua primeira mensagem aos fiéis, no balcão central da Basílica de São Pedro, o argentino Jorge Mario Bergoglio pediu uma oração a Bento XVI. Pouco depois da eleição, telefonou ao papa emérito, em um gesto de respeito.

Em 2005, o argentino ficou em segundo lugar nas eleições para papa, sendo superado justamente por Joseph Ratzinger (mais informações nesta pág.). Agora, ambos são papas. Pela primeira vez, o Vaticano terá dois papas em seu território, ainda que um tenha renunciado.

Segundo o cardeal americano Timothy Dolan, Francisco revelou aos cardeais que iria visitar Bento já na manhã de hoje.

Joseph Ratzinger tem pelo menos um grande dossiê a entregar ao argentino: o resultado da investigação sobre uma rede de corrupção e escândalos dentro do Vaticano, que está sendo mantido em sigilo. Bento XVI havia decidido, uma semana antes de renunciar, que não divulgaria os dados, salvo para seu sucessor.

Muitos cardeais, entre eles os brasileiros, pediram cópias dos documentos antes da votação, mas não os obtiveram.

Influência. Uma das especulações mais recorrentes em Roma desde a renúncia de Bento XVI é o fato de que, vivendo dentro do Vaticano, o alemão continuará a ter uma influência no próximo papa. Um dos elementos que reforça isso é que seu secretário particular, Georg Gäenswein, manteve uma posição dupla: continuará a ser seu assistente, mas também terá um cargo na Santa Sé.

Ao iniciar o conclave, o braço direito de Ratzinger estava dentro da Capela Sistina, ainda que tenha sido colocado para fora no início do processo eleitoral. O fato chamou a atenção de vaticanistas e de críticos, que temem que Ratzinger mantenha sua sombra sobre o novo papa.

Conclave pela TV. Além das especulações sobre os contatos de Bento XVI com seu assistente, o Vaticano revelou que o alemão fez questão de acompanhar o conclave. O papa emérito está residindo em Castel Gandolfo, cidade localizada ao sul de Roma. Mas, segundo o próprio Vaticano, ele acompanhou pela televisão o início do conclave e ainda voltou a ver, na noite de terça-feira, o primeiro dia do conclave, a fumaça da primeira rodada de votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.