Sombrinha espacial pode ajudar a achar planetas como a Terra

Um gigantesco escudo espacial, com a forma de uma margarida, poderá ser usado para bloquear a luz das estrelas e permitir que um telescópio em órbita localize planetas semelhantes à Terra, de acordo com um estudo da Universidade do Colorado em Boulder. A "sombrinha" de plástico fino permitiria que um telescópio, localizado milhares de quilômetros atrás da proteção, fizesse imagens de planetas sem ser ofuscado pela luz da estrela principal, de acordo com o cientista Webster Cash. Pesquisadores poderiam, assim, identificar características planetárias como oceanos, continentes, calotas polares e, talvez, detectar sinais de vida, como o gás metano ou oxigênio. "Achamos que é um conceito importante, particularmente porque pode ser feito hoje, com a tecnologia atual", disse Cash, segundo nota divulgada pela Nasa. "Seremos capazes de estudar planetas semelhantes à Terra a trilhões de quilômetros, e analisar quimicamente suas atmosferas. Um artigo assinado por Cash sobre o tema será publicado na edição desta semana da revista Nature. O artigo inclui soluções matemáticas para questões técnicas como a distorção e difusão da luz entre a sombrinha de 50 metros de diâmetro e o telescópio espacial, que estaria em órbita cerca de 22.000 km atrás da cobertura.A sombrinha e o telescópio seriam lançados juntos, numa órbita a cerca de 1,6 milhão de quilômetros da Terra. A sombrinha então seria desdobrada por controle remoto e manobrada, com o uso de pequenos foguetes, para cobrir a luz das estrelas escolhidas. Batizado New Worlds Observer (Observador de Novos Mundos), o projeto de Cash foi selecionado pela Nasa para um financiamento de US$ 400.000. A equipe de Cash já requisitou mais US$ 400 milhões para lançar uma sombrinha espacial que trabalharia em conjunto com o Telescópio Espacial James Webb, que deverá ser lançado em 2013 para suceder o Hubble.

Agencia Estado,

05 de julho de 2006 | 15h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.