Sonda da Nasa conclui manobra perigosa na atmosfera de Marte

A sonda Mars Reconnaissance Orbiter (Orbitador de Reconhecimento de Marte), da Nasa, concluiu nesta quinta-feira sua fase de "aerobraking", ou "aerofreagem", na qual utilizou a resistência da atmosfera de Marte para perder velocidade e adaptar sua órbita aos objetivos científicos da missão. O "aerobraking" permite que a sonda transporte menos combustível - já que o atrito da atmosfera faz as vezes do foguete que, em outras circunstâncias, seria necessário para desacelerar o veículo - e provavelmente será usado na primeira missão tripulada a Marte, prevista para as próximas décadas.A MRO vinha mergulhando e saindo das camadas mais exteriores da atmosfera marciana há meses e, na 445ª órbita desde que chegou ao planeta, há seis meses, ativou um foguete para afastar-se um pouco mais de Marte e deixar de tocar a atmosfera. "O ´aerobraking´ mudou o curso da órbita da nave de 35 horas por órbita para pouco menos de duas horas por orbita, e nos poupou cerca de 600 kg de combustível", disse o gerente-adjunto da missão MRO, Dan Johnston, segundo nota divulgada pela Nasa. A Mars Reconnaissance Orbiter entrou na órbita de Marte há seis meses, e a Nasa pretende que a sonda faça a avaliação científica mais completa do planeta vermelho já realizada. A fase principal da missão terá início em novembro, depois de um período de testes e três semanas de comunicação difícil, enquanto Marte passa por trás do Sol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.