Sonda traz à Terra poeira de cometa

Moradores do oeste dos Estados Unidos poderão ver uma estrela cadente especial na madrugada de domingo. Será uma cápsula metálica de 45 quilogramas lançada pela sonda espacial Stardust, da Nasa, contendo as primeiras amostras já coletadas da poeira de um cometa. Ela deverá cruzar a atmosfera da Terra a mais de 46 mil quilômetros por hora e cair no deserto de Utah às exatas 2h12 de domingo (8h12 no horário de Brasília), para ser recuperada pelos cientistas.Dentro da cápsula, os pesquisadores esperam encontrar uma placa de gel impregnada de grãos e partículas cometárias, algumas das quais poderão ter mais de 4,5 bilhões de anos. O material foi coletado pouco mais de dois anos atrás, em 2 de janeiro de 2004, quando a Stardust atravessou a cauda do cometa Wild 2. O encontro foi a meio caminho de Júpiter, numa viagem total de 4,6 bilhões de quilômetros.A poeira poderá dar informações importantes aos cientistas sobre a formação do sistema solar. Os cometas, para os astrônomos, são como fósseis espaciais, compostos de rocha e gelo sobressalentes da formação dos planetas e de todo o sistema. As moléculas liberadas pelo Wild 2 e capturadas pela Stardust, portanto, darão aos cientistas uma amostra do material que estava presente no canteiro de obras solar 4,5 bilhões de anos atrás."Esperamos que algumas partículas sejam mais antigas que o Sol", afirma o cientista chefe da missão, Donald Brownlee, da Universidade de Washington.

Agencia Estado,

13 de janeiro de 2006 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.