Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Sornoza e Mateus Vital disputam vaga no meio-campo do Corinthians contra o Goiás

Carille despista sobre quem será o escolhido para o jogo de quarta-feira pelo Brasileirão

João Prata, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2019 | 04h30

O Corinthians tem uma dúvida para a partida de quarta-feira contra o Goiás, na arena em Itaquera, em jogo adiado da sétima rodada do Campeonato Brasileiro: Sornoza ou Mateus Vital, quem será o escolhido desta vez pelo técnico Fábio Carille.

O treinador não quis dar pistas após o clássico com o Palmeiras e apenas comentou que são jogadores da mesma posição, mas com características diferentes. "O Vital gosta do 1 contra 1, do jogo curto, combinado, ele não faz muito lançamento. O Sornoza já é mais de passe", disse.

Sornoza começou entre os titulares no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, mas deu lugar a Mateus Vital no segundo tempo. Vital havia sido titular nos dois jogos anteriores e deu mais velocidade e criatividade no meio-campo do Corinthians.

O equatoriano é fundamental nas jogadas de bola parada. Por isso, é o jogador que mais deu assistências do elenco na temporada: 11 contanto o cruzamento na medida para Manoel abrir o marcador contra o Palmeiras. Mas Mateus Vital deixa a equipe mais veloz, encosta mais para tabelar com os companheiros, tenta a jogada individual, participa mais do jogo.

"Como o Vital fez dois bons jogos, então a gente teve que ter os cuidados. O cuidado das mudanças foi para ter cuidado pelo edema do Sornoza. Foi uma semana bem planejada", disse Carille logo após o clássico.

O Corinthians deve ir a campo na quarta-feira com: Cássio, Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel, Júnior Urso (Matheus Jesus) e Sornoza (Mateus Vital); Clayson, Vagner Love e Pedrinho. A vitória é importante para colocar o time na parte de cima da tabela. Atualmente o Corinthians ocupa a sétima posição, com 20 pontos. Se vencer, pode ganhar duas posições, ultrapassando o Internacional e o São Paulo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.