Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

SP começou no ano passado mapeamento de árvores

A queda de árvores e galhos sobre a rede elétrica é uma das principais causas da falta de luz em ruas e bairros da capital paulista, respondendo por 52% das interrupções de energia na Eletropaulo. No temporal ocorrido na última segunda-feira caíram 175 árvores na região metropolitana de São Paulo. A solução para o problema, no entanto, pode demorar. O mapeamento das árvores da cidade, que poderia reduzir os incidentes, não tem prazo para terminar.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2011 | 18h04

Em janeiro de 2010, a Prefeitura de São Paulo começou um levantamento de todas as árvores da cidade para verificar a necessidade de poda, reforma do canteiro ou até a remoção ou o transplante das árvores. O projeto, chamado Identidade Verde, está a cargo da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras. Os dados coletados nas 31 subprefeituras são inseridos no Sistema de Gerenciamento de Árvores Urbanas (Sisgau) e os agrônomos municipais passam a acompanhar o desenvolvimento de cada planta.

Os bairros Lapa, Ermelino Matarazzo, Pinheiros, Santo Amaro, Sé e Vila Mariana são os que tiveram o mapeamento concluído até o momento. Na Lapa, o primeiro bairro a ser levantado, foram cadastradas 7.096 árvores. Conforme a assessoria da pasta, "o Identidade Verde certamente vai diminuir o número de incidentes provocados por árvores ou queda de galho, mas não é possível reduzir os ocorridos a zero por ser uma situação incontrolável".

Tudo o que sabemos sobre:
mapeamentoSPárvores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.