SP concentra um quinto da rede de hospedagem

A cidade de São Paulo tem a maior rede de hospedagem entre as capitais do País, com 972 estabelecimentos, 19,3% do total encontrado pela Pesquisa de Serviços de Hospedagem 2011, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo, encomendado pelo Ministério do Turismo, tem o objetivo de mensurar a capacidade hoteleira nacional, tendo em vista a proximidade de eventos esportivos importantes como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Ao todo, foram contabilizadas 54.065 unidades habitacionais em São Paulo, num total de 73.488 leitos disponíveis.

DANIELA AMORIM, Agência Estado

28 de fevereiro de 2012 | 10h30

No ranking das 27 capitais, figurou em segundo lugar o Rio de Janeiro, com 429 estabelecimentos (8,5% do total), 31.594 unidades habitacionais e 45.416 leitos disponíveis. Em seguida, aparecem Salvador - com 358 estabelecimentos, 15.666 unidades habitacionais e 22.366 leitos - e Belo Horizonte - com 291 estabelecimentos, 13.353 unidades e 19.031 leitos.

Como resultado, as quatro primeiras capitais da lista (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte) concentram 40,7% do total de estabelecimentos de hospedagem no País, 45,8% dos quartos e 43,0% dos leitos disponíveis.

Segundo Roberto da Cruz Saldanha, gerente da pesquisa do IBGE, os dados são mais completos porque não houve sondagem por amostragem. O instituto pesquisou todas as unidades de hotelaria listadas em seu cadastro de empresas, acrescentando ainda estabelecimentos que constavam nos registros da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH) e da Federação dos Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB).

"Só pesquisamos estabelecimentos devidamente cadastrados no CNPJ. O hotelzinho de beira de estrada que não tem CNPJ não foi pesquisado", disse Saldanha. "Mas a nossa pesquisa é censitária, ouvimos os associados e os não associados às entidades de classe".

Entre os tipos de hospedagem em cada capital, Brasília aparece com o maior porcentual de hotéis entre os estabelecimentos disponíveis aos visitantes na cidade: 67,1%. Em Florianópolis, destacou-se o maior porcentual de pousadas: 40,2%. Já em Fortaleza, o maior porcentual encontrado entre os estabelecimentos hoteleiros foi o de motéis: 39,3%.

A capacidade média de hospedagem - capacidade total dividida pelo número de estabelecimentos - nas capitais do País é de 110 hóspedes por estabelecimento. Embora São Paulo tenha a maior rede hoteleira, o Rio de Janeiro tem a maior média de hóspedes por estabelecimento, 157 pessoas, contra os 118 hóspedes por estabelecimento na capital paulista. Em segundo lugar ficou Natal, com uma capacidade de 140 hóspedes por estabelecimento.

"Natal tem uma rede de hospedagem menor, mas com mais leitos. O dono da pousada coloca uma cama de casal e até dois beliches no quarto, então cabem ali seis pessoas", justificou o pesquisador do IBGE. "No Rio de Janeiro, há hotéis maiores mesmo". A pesquisa foi conduzida entre o dia 19 de novembro de 2011 e 15 de fevereiro de 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
hotéispesquisaconcentração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.