SP ganha novo centro médico para câncer de próstata

Um marcador genético para o câncer de próstata e um novo tratamento para o tumor de bexiga serão testados no Instituto da Próstata que será inaugurado hoje pelo Hospital Alemão Oswaldo Cruz, na capital paulista. O novo centro médico será comandado pelo urologista Miguel Srougi, professor titular da Faculdade de Medicina da USP, e vai receber pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A forma como os pacientes do SUS serão encaminhados ainda não está definida, mas Srougi afirma que esse foi um fator condicionante do projeto.

AE, Agencia Estado

30 de março de 2009 | 08h25

No Instituto da Próstata, o atendimento será feito de forma interdisciplinar, com vários especialistas. Entre as linhas de pesquisa a serem desenvolvidas estão dois estudos que chamam a atenção pelos resultados promissores apresentados até agora. Um deles é a tentativa de desenvolver um marcador genético para o câncer de próstata. Os pesquisadores do Departamento de Urologia da USP identificaram uma diminuição na expressão do gene PGC em pacientes com a doença. Os pesquisadores estudaram 50 casos de pacientes com o tumor maligno na próstata e em todos eles havia alterações no gene.

Outra pesquisa com resultados promissores é a busca por um novo tratamento para o câncer de bexiga. Atualmente o tratamento para a doença é feito com o bacilo Calmette-Guérin, o BCG - causador da tuberculose bovina -, que promove uma resposta imunológica, atacando o tumor. A nova pesquisa utiliza uma forma recombinante da vacina, produzida pelo Instituto Butantã. A versão tem proteínas da Bordetella pertussis, bactéria causadora da coqueluche. Os resultados dos testes em cobaias mostraram ótimos resultados. O próximo passo é testar a vacina recombinante em seres humanos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
saúdecâncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.