SP pretende vacinar 3,4 milhões de idosos contra a gripe

O Estado de São Paulo pretende vacinar mais de 3,4 milhões de habitantes com mais de 60 anos contra a gripe, durante a 10ª Campanha Nacional de Vacinação do Idoso. A campanha começa no dia 26 e se estenderá até o dia 9. A meta mínima da iniciativa para 2008 é imunizar 80% dos idosos no Estado, 10% a mais do que a de 2007. Na campanha de 2007, São Paulo registrou cobertura de 81,26% da população acima de 60 anos.De acordo com o Ministério da Saúde, estudos nacionais e internacionais mostram que a imunização contra a doença reduz em mais de 50% os casos de enfermidades relacionadas à infecção nos idosos vacinados e, no mínimo, 32% das ocorrências de pneumonia. Os estudos apontam ainda uma queda de 31% nas mortes por inflamação pulmonar e gripe.O governo federal investiu R$ 150 milhões para a realização da campanha, dos quais R$ 127 milhões foram aplicados na aquisição das vacinas, R$ 17 milhões transferidos a governos de Estados e prefeituras com o objetivo de serem usados na estruturação e R$ 5 milhões visando a apoiar a divulgação da ação. Além da substância contra a influenza (gripe), o Programa Nacional de Imunizações (PNI) também enviará aos governos estaduais e administrações municipais vacinas contra difteria e tétano, pneumococo e febre amarela, para reforçar a ação.A vacina leva duas semanas para produzir efeito e deve ser tomada todos os anos. Os vírus presentes na vacina estão mortos, portanto, não podem se reproduzir e provocar a moléstia. Só não podem ser vacinados aqueles que têm um quadro raríssimo de alergia comprovada à proteína do ovo, uma vez que a dose é produzida em embriões de galinha.PostosDe acordo com o ministério, estarão disponíveis 65,6 mil pontos de vacinação em todo Brasil. O Serviço Social do Comércio (Sesc) informou que vai colaborar com a campanha colocando à disposição da população postos de vacinas em quase 300 unidades nos 26 Estados e no Distrito Federal.

CARINA URBANIN, Agencia Estado

14 de abril de 2008 | 19h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.