SP 'vira a mesa' na guerra contra o crime, diz jornal americano

'Miami Herald' destaca redução da taxa de violência no Estado nos últimos 8 anos.

BBC Brasil, BBC

09 de janeiro de 2008 | 08h05

O Estado mais rico e populoso do Brasil está colhendo os frutos de oitos anos de uma campanha de segurança pública que reduziu os índices de violência e se tornou modelo para outros Estados do país, afirma uma reportagem publicada nesta quarta-feira pelo jornal americano Miami Herald. "Desde 1999, as taxas de homicídio caíram 70% em todo o Estado, e os índices de roubo armado, roubo de veículos e outros crimes também reduziram", afirma o diário. O jornal publica uma entrevista com o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Ronaldo Mazagão, que qualifica o dia 7 de dezembro como um "marco" na história da capital. Pela primeira vez em cinco décadas, disse Mazagão ao jornal, "este foi o primeiro dia em que a cidade de São Paulo não registrou nenhum homicídio". Inteligência O Miami Herald ressalta que mesmo que a taxa de homicídios em São Paulo, de 11 para cada 100 mil habitantes, "ainda seja o dobro da dos Estados Unidos, é a metade da média nacional e apenas um quarto do índice de homicídio no Rio de Janeiro, onde batalhas armadas entre a polícia e as gangues tiram centenas de vidas". O que fez a diferença no caso de São Paulo, afirma o diário, "é simples, mas revolucionário".  "A polícia estadual concentrou esforços em serviços de inteligência para conhecer melhor as gangues antes de confrontá-las, evitando trocas de tiros e a morte de inocentes". O jornal, no entanto, aponta que ainda há sérios problemas envolvendo abusos da polícia e que a nova estratégia de segurança aumentou em 130% a população carcerária do Estado desde 1996. "Desde 1996, a população carcerária nas prisões de São Paulo aumentou 130%, chegando a 140 mil prisioneiros, o que representa 40% do total de pessoas atualmente atrás das grades no Brasil".   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
são paulopressprisõescrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.