STF: placar atual libera pesquisas, mas pode mudar

Com o voto do ministro Marco Aurélio Mello a favor da constitucionalidade da lei de Biossegurança sem restrições, sobe para seis o total de votos favoráveis à liberação das pesquisas com células-tronco embrionárias, mas este placar ainda pode ser alterado até o final da sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo a assessoria de imprensa do STF, os ministros têm o direito de alterar voto antes da conclusão do julgamento. O placar de seis votos é o mínimo necessário para a aprovação, já que o STF é composto por 11 ministros. Faltam ainda os votos dos ministros Celso de Mello e Gilmar Mendes.Além de Marco Aurélio, votaram a favor da constitucionalidade das pesquisas sem restrições Carlos Ayres Britto, Ellen Gracie, Cármen Lúcia, Joaquim Barbosa e Cezar Peluso. Outros três ministros votaram pela liberação das pesquisas, mas com restrições: Carlos Alberto Menezes Direito, Ricardo Lewandowski e Eros Grau. No início da sessão de hoje, que foi retomada da sessão iniciada ontem, o ministro Cezar Peluso esclareceu que seu voto foi interpretado incorretamente como favorável às pesquisas, mas com ressalvas. Segundo Peluso, ele não impôs nenhuma restrição às pesquisas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.