STJ derruba liminar e Gil Rugai terá de voltar à prisão

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) derrubou na quarta-feira a liminar que garantia liberdade ao estudante Gil Rugai, acusado de ter assassinado o pai, Luiz Carlos Rugai, e a madrasta, Alessandra de Fátima Troitino, em março de 2004. Rugai estava respondendo pelo processo em liberdade, mas, em setembro de 2008, desobedeceu o habeas corpus ao se mudar para Santa Maria (RS) sem comunicar à Justiça. No dia 10 de fevereiro, porém, o advogado de Rugai Fernando José da Costa conseguiu uma liminar que concedia a liberdade.

MAÍRA TEIXEIRA, Agencia Estado

21 Agosto 2009 | 18h58

Segundo informações do STF, ele sustenta que se mudou para Santa Maria para prestar vestibular de Medicina, afirmando que ali, por ser uma cidade menor, teria mais chance de entrar na faculdade. De acordo com a defesa, Rugai estava trabalhando e sempre compareceu a todos os atos do processo, que corre em São Paulo, local do crime. O acusado ficou preso entre 2004 e 2006, quando teve liberdade concedida pelo STF.

Mais conteúdo sobre:
STJGil Rugailiminar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.