STJ inclui irmã de Sean Goldman no processo

Com apenas 2 anos de idade, a menina Chiara Ribeiro Lins e Silva foi incluída como parte interessada no processo que discute a guarda do meio-irmão, Sean Goldman. Há anos a família brasileira do garoto e o pai biológico, o norte-americano David Goldman, disputam na Justiça com quem Sean deve viver.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

01 de março de 2011 | 19h21

Desde o final de 2009, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), o menino mora nos Estados Unidos com o pai. Mas os parentes brasileiros tentam reverter a decisão que permitiu a entrega de Sean para David Goldman. A inclusão de Chiara como interessada é mais um capítulo nessa disputa judicial.

Sean é filho de Goldman e da brasileira Bruna Bianchi. O garoto viveu no Brasil de 2004 a 2009, período em que a mãe decidiu se separar do pai e se casou com o advogado João Paulo Lins e Silva. Em 2008 Bruna Bianchi morreu após complicações no parto de Chiara. As disputas pelo garoto se intensificaram.

A inclusão de Chiara como parte interessada no processo foi determinada hoje por unanimidade pelos ministros da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os ministros concluíram que Chiara tem o direito de participar do processo porque as eventuais decisões podem interferir em direitos da criança. A família sustenta que desde a entrega do garoto tem enfrentado dificuldades para falar e ver o menino.

Tudo o que sabemos sobre:
STJSean Goldman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.