Stones tocam em Paris a R$ 40

Show surpresa de 1h15 foi aquecimento para turnê

O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2012 | 03h02

Os Rolling Stones deram um minishow surpresa de 1h15 de duração ontem à noite em Paris para 350 pessoas, a ingressos de apenas 15 (R$ 40). Horas antes, eles anunciaram a apresentação, que ocorreu em um local chamado Trabendo, no norte da capital francesa, no Twitter.

"Não acredito que estamos todos de pé", disse ao público o cantor Mick Jagger, de 69 anos. "Podia-se pensar que um ou dois de nós teria de tocar sentado, mas não", completou, durante a energética apresentação, que começou com Route 66 (1964), a primeira canção do primeiro disco do cinquentenário grupo britânico de rock, e terminou com Brown Sugar (1971).

Segundo um espectador francês que se identificou apenas como Gianni, o local pequeno permitiu que os astros fossem vistos bem de perto. "Eles correram por todo o palco e pareciam muito felizes", disse. Depois do show, Jagger distribuiu autógrafos antes de ir embora a bordo de um Mercedes.

Desde o início da manhã, fãs da banda fizeram fila em frente à Virgin Megastore da Avenida Champs-Elysées, no centro de Paris, para comprar as entradas. Houve quem tivesse dirigido desde a Alemanha para garantir o seu ingresso.

Outro show. Corria o rumor de que os Stones fariam outro show em Paris na próxima segunda-feira, no Teatro Mogador, mas apenas para uma plateia de banqueiros, convidados pela casa de investimentos Carmignac Gestion. Essa empresa, que não confirma a apresentação, já promoveu shows particulares de artistas como Lou Reed e Rod Stewart.

No início do mês, os Stones anunciaram quatro shows - dois em Londres, em 25 e 29 de novembro, e dois em Newark, perto de Nova York, em 13 e 15 de dezembro - para celebrar o aniversário de 50 anos de sua primeira apresentação, em 12 de julho de 1962. Esses shows serviriam de aquecimento para uma futura turnê mundial.

A turnê passada do grupo, A Bigger Bang, durou dois anos e terminou em agosto de 2007. O lucro desses shows foi de R$ 1,13 bilhão, o segundo maior da história do entretenimento, perdendo apenas para a 360 Tour da banda irlandesa U2.

Entretanto, houve reclamação na capital britânica por causa do alto preço dos ingressos, de 95 a 950 libras (R$ 310 a R$ 3,1 mil). Segundo a imprensa britânica, ingressos foram oferecidos online por milhares de libras cada um. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.