Stripper escocês foi indiciado 22 vezes por usar uniforme policial

Stuart Kennedy, conhecido como Eros, não foi condenado por nenhuma das acusações.

Da BBC Brasil, BBC

21 de janeiro de 2009 | 10h30

Um stripper escocês foi indiciado 22 vezes em Aberdeen, na Escócia, por fazer suas apresentações vestido com um uniforme e equipamentos da polícia. Stuart Kennedy, também conhecido como Eros, foi preso pela primeira vez em março de 2007 por sair às ruas vestido como policial. Na época, a polícia afirmou que acusações contra ele estariam ligadas ao uso de uniforme e equipamento policial em lugar público.Desde então, o stripper, que também é um estudante de genética na Universidade de Aberdeen, já foi preso sete e indiciado 22 vezes e ainda tem outras duas audiências marcadas para os próximos 20 dias. O jornal The Scotsman, de Edimburgo, reuniu dados oficiais e estima que os casos judiciais contra Kennedy já teriam custado ao governo cerca de £170 mil (R$555 mil). O stripper, no entanto, não foi condenado por qualquer das acusações. IntimidaçãoNo caso mais recente, ele foi acusado por dirigir com o uniforme completo de policial. Ele conta que ficou 39 horas detido na delegacia.Durante a audiência sobre o caso, o juiz decidiu suspender as acusações contra Kennedy. "Nao tenho dúvidas de que os policiais estavam tentando me intimidar", disse ele. Apesar disso, o stripper afirma que não abandonará sua performance como policial. "Não estou fazendo nada de errado, o que faço não é ilegal. Eu me visto de policial apenas durante as apresentações de entretenimento, nunca tentei passar por um policial para nenhum membro do público ou agir como um oficial na rua", disse ele à BBC Brasil. MídiaDesde a primeira vez que Kennedy foi preso, o caso chamou a atenção do público local e ganhou as páginas dos jornais. Apesar disso, a quantidade de acusações contra o stripper fizeram com que a história fosse recebida com um tom crítico por autoridades e políticos da região. Em entrevista ao jornal The Scotsman, publicada na terça-feira, o porta-voz do departamento de justiça do Partido Trabalhista, Richard Baker, disse que a polícia local corre o risco de ser motivo de piadas por conta dos casos contra o stripper. "As pessoas estão ficando enjoadas dessa história. Nenhuma das ações contra Kennedy teve sucesso e acho que depois de tantos casos, o que estamos fazendo é publicidade para ele", disse Baker ao jornal. A polícia, no entanto, defende suas ações no jornal, afirmando que é dever dos policiais investigar qualquer relato de atividade criminal.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.