Subsídios estimulam consumo insustentável

Os subsídios governamentais para produtos agrícolas e combustíveis estão agora na mira dos ambientalistas. Segundo Achim Steiner, diretor executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), os preços artificialmente baixos de alguns itens, graças aos subsídios dos governos, estimulam o consumo desenfreado e não sustentável. Steiner acredita que os subsídios deixam os produtos tão mais baratos, frente ao que seria razoável na cadeia produtiva, que tornam impossível que as pessoas tomem a decisão correta na hora de consumir. "Hoje, quando deveríamos estar nos afastando dos combustíveis fósseis por várias razões, estamos subsidiando, isto é, incentivando, criando um preço distorcido", diz. "O que estamos fazendo com o consumidor por meio da redução de impostos, incentivos fiscais e subsídios é forçando-o a fazer uma escolha errada", completa ele.

, O Estado de S.Paulo

29 Abril 2011 | 00h00

Segundo Steiner, o padrão se repete na agricultura, que recebe subsídios governamentais em torno de US$ 300 bilhões por ano. Os preços mais baixos fazem com que as pessoas se acostumem a consumir mais, o que pode significar um risco ao abastecimento mundial no futuro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.