SUMMIT-Pão de Açúcar terá vendas abaixo do previsto no 2o tri

O Grupo Pão de Açúcar deve encerrar o segundo trimestre com crescimento de vendas abaixo do esperado pela companhia, com o otimismo visto no início do ano dando lugar a questionamentos sobre as razões que têm limitado o aumento do consumo no país, apesar do ambiente favorável a isso.

VIVIAN PEREIRA E BRAD HAYNES, REUTERS

30 Maio 2012 | 15h30

"Estamos crescendo um pouco abaixo do que desenhamos no começo do ano", disse o vice-presidente executivo do Pão de Açúcar, Hugo Bethlem, durante o Reuters Latin American Investment Summit, nesta quarta-feira. "Por uma razão inexplicável, foi um abril para esquecer."

Após apurar crescimento de 10,4 por cento nas vendas brutas de janeiro a março na comparação anual, a maior varejista do país caminha para um segundo trimestre que "começou mal", segundo o executivo. "Maio não vem tão ruim, mas não será suficiente para recuperar abril."

Junho, tradicionalmente um mês fraco, deve ganhar destaque apenas na região Nordeste, pela comemoração das festas de São João, ainda conforme Bethlem, que aposta em um segundo semestre positivo para compensar o desempenho aquém do previsto da primeira metade do ano.

"O grande desafio é entender o que está acontecendo, porque os fatores positivos para o consumo estão aí", disse ele, referindo-se à atual conjuntura macroeconômica, com aumento de renda e desemprego em recorde de baixa, e bancos promovendo uma série de cortes de juros a fim de impulsionar o crédito.

"Estamos tentando buscar uma explicação de por que a conjuntura de fatores extremamente positiva não está se refletindo no consumo, principalmente porque abrimos 2012 com muito mais esperança do que em 2011", acrescentou.

A projeção da companhia é de que as vendas brutas em 2012 superem 57,2 bilhões de reais, 8,6 por cento acima de 2011, sendo que o segmento alimentar deve contribuir com a maior fatia, de mais de 31,5 bilhões de reais. No primeiro trimestre, o faturamento do grupo foi de 13,7 bilhões de reais.

Na terça-feira, a Abras, associação que representa os supermercados no país, estimou que o setor sofra certa desaceleração nas vendas em maio, seguindo o processo de acomodação visto em abril.

As vendas reais de todo o setor no Brasil cresceram apenas 0,19 por cento em abril contra igual etapa de 2011. Na comparação com março deste ano, houve recuo de 2 por cento.

(Reportagem adicional de Guillermo Parra-Bernal)

Mais conteúdo sobre:
SUMMIR PAODEACUCAR VENDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.