Superávit primário do país despenca a R$1,119 bi

O setor público consolidado brasileiro registrou superávit primário de 1,119 bilhão de reais em maio, informou o Banco Central nesta segunda-feira. O dado exclui, pela primeira vez, o resultado fiscal da Petrobras.

REUTERS

29 Junho 2009 | 11h22

Em maio de 2008, também excluindo o saldo da estatal, o resultado primário havia sido superavitário em 8,525 bilhões de reais.

O vencimento de juros no mês passado somou 12,593 bilhões de reais e, com isso, o país teve déficit nominal de 11,474 bilhões de reais.

No ano, o superávit primário é de 31,9 bilhões de reais, menos da metade dos 71,4 bilhões de reais acumulados no mesmo período do ano passado.

"Contribuiu para essa redução o desempenho menos favorável da arrecadação em 2009, que vem refletindo os efeitos da crise financeira internacional sobre o nível de atividade, bem como a atuação anticíclica do governo federal", afirmou o BC em nota.

Em 12 meses encerrados em maio, o superávit primário foi equivalente a 2,28 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), ante 2,54 por cento do PIB em 12 meses até abril.

O BC informou ainda que a dívida líquida total do setor público subiu a 42,5 por cento do PIB em maio, frente a 41,4 por cento do PIB em abril.

A exclusão do resultado da Petrobras --que foi dispensada pelo governo de contribuir para o esforço fiscal do setor público consolidado-- tem o efeito de elevar a dívida pública líquida, uma vez que a estatal tradicionalmente contribuía positivamente para a redução do endividamento.

(Reportagem de Isabel Versiani)

Mais conteúdo sobre:
BACENFISCALMAIOATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.