Supermercados mantêm tendência de vendas maiores em 2013

Os supermercados brasileiros devem manter a trajetória de crescimento de vendas nos próximos meses, o que pode levar a um aumento da estimativa anual, informou nesta quarta-feira a associação que representa o setor no país, Abras.

Reuters

27 de março de 2013 | 16h17

As vendas reais dos supermercadistas caíram 1,33 por cento em fevereiro na comparação com o mesmo mês em 2012, quando houve um "desempenho excepcional, em função do reajuste do salário mínimo... tradicionalmente, as vendas em fevereiro são menores", afirmou o gerente de economia e pesquisa da Abras, Flávio Tayra. Em fevereiro de 2012, as vendas haviam saltado 11,58 por cento ano a ano.

Em relação a janeiro, houve queda de 3,26 por cento nas vendas, decorrente do menor número de dias úteis em fevereiro.

Ainda assim, nos dois primeiros meses do ano o setor acumulou crescimento de 0,25 por cento sobre o mesmo período de 2012.

"Ainda estamos com resultado positivo para o setor... a economia já mostra sinais de aceleração. A partir de abril, com as festas sazonais, podemos delinear como será o ano", disse Tayra.

A Abras estima aumento de 3,5 por cento nas vendas em 2013, previsão considerada conservadora pela associação, que não descarta a possibilidade de revisá-la para cima.

A entidade apresentou também os dados da cesta AbrasMercado, composta por 35 categorias de produtos e calculada pela GfK, que em fevereiro subiu 2,25 por cento sobre o mês anterior, para 356,75 reais.

FATURAMENTO DO SETOR CRESCE

A Abras informou ainda que, no ano passado, o faturamento do setor alcançou 250 bilhões de reais, montante cerca de 11 por cento maior ante 2011.

Se consideradas apenas as 20 maiores redes supermercadistas, o faturamento em 2012 foi de 155,7 bilhões de reais, expansão anual de 11,3 por cento.

As três maiores redes do Brasil --Grupo Pão de Açúcar, Carrefour e Wal-Mart-- mantiveram suas posições no ranking da Abras com faturamentos de 57,2 bilhões, 31,5 bilhões e 25,9 bilhões de reais, respectivamente.

Dentre os destaques do ranking, a Abras assinalou o incremento registrado pela chilena Cencosud, que incorporou totalmente as operações do Prezunic, adquirido em 2010. O Cencosud manteve a quarta posição no ranking, com faturamento de 9,72 bilhões de reais, seguido pelo Zaffari e Bourbon, com 3,3 bilhões.

Ainda considerando as 20 maiores empresas, o setor encerrou 2012 com 3.283 lojas, sem contabilizar as unidades do Carrefour, que não revelou os dados.

(Por Vivian Pereira)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSUMOABRASFEVEREIRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.