Supermercados vendem 11,6% mais em fevereiro

As vendas reais dos supermercados brasileiros cresceram 11,58 por cento em fevereiro na comparação com o mesmo mês em 2011, informou nesta quinta-feira a associação que representa o setor no país, Abras. Já em relação a janeiro, houve queda de 0,18 por cento.

REUTERS

29 Março 2012 | 11h39

Enquanto isso, nos dois primeiros meses do ano as vendas acumularam expansão de 7,57 por cento.

A previsão da entidade é de que o faturamento do setor cresça entre 3,5 e 4 por cento este ano.

A entidade apresentou também os dados da cesta AbrasMercado, composta por 35 produtos e calculada pela GfK, que em fevereiro recuou 0,25 por cento sobre o mês anterior, para 316,10 reais. Na comparação anual, o valor da cesta aumentou 5,83 por cento.

Os produtos com maiores altas de preço em fevereiro sobre janeiro foram feijão (+11,52 por cento), cebola (+8,75 por cento) e café (+4,06 por cento). As maiores quedas foram tomate (-21,34 por cento), farinha de trigo (-4,23 por cento) e farinha de mandioca (-3,83 por cento).

FATURAMENTO EM 2011

A Abras informou ainda que o faturamento do setor supermercadista no ano passado alcançou 224,3 bilhões de reais, valor 11,3 por cento maior ante 2010. Em termos de número de lojas, houve incremento de 1,1 por cento em 2011, para 82.010 no país.

As três maiores redes supermercadistas do Brasil --Grupo Pão de Açúcar, Carrefour e Wal-Mart-- mantiveram suas posições no ranking da Abras, com o grupo do empresário Abílio Diniz respondendo por faturamento de 52,7 bilhões de reais. Em seguida, a rede francesa apurou vendas brutas de 28,8 bilhões de reais e o grupo norte-americano obteve receita bruta de 23,5 bilhões.

Segundo os dados da Abras, o Carrefour foi a única rede entre as 20 pesquisadas a apresentar queda no faturamento de 2011, de 0,8 por cento.

Enquanto isso, a rede de origem chilena Cencosud obteve o maior crescimento de receitas, de 78 por cento, para 6,2 bilhões de reais, ocupando a quarta posição no ranking da Abras.

(Por Vivian Pereira)

Mais conteúdo sobre:
CONSUMO ABRAS FEVEREIRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.