Superterça pode consolidar candidatura do republicano McCain

Na disputa republicana, maioria dos Estados conferem totalidade dos delegados ao candidato mais votado

JOHN WHITESIDES, REUTERS

05 de fevereiro de 2008 | 20h44

Barack Obama e Hillary Clinton lutam pelos votos democratas nesta Superterça, principal dia da disputa pelas indicações presidenciais nos Estados Unidos. No lado republicano, John McCain espera tirar de vez Mitt Romney da corrida.         Veja também:    Especial eleições americanas     Cobertura completa das eleições nos EUA   O republicano Mike Huckabee obteve a primeira vitória do dia, na Virgínia Ocidental, um dos 24 Estados em que serão definidos delegados que participarão de convenções nacionais, quando os partidos escolherão o respectivo candidato para a eleição presidencial de novembro. Huckabee, um pastor batista e ex-governador de Arkansas, venceu no segundo turno da votação na convenção republicana de Virgínia Ocidental. A maioria dos eleitores de McCain decidiu apoiar Huckabee para evitar a vitória de Romney, maior adversário do senador. As preocupações com a situação econômica ofuscaram a guerra do Iraque como principal tema para o eleitorado, segundo as pesquisas de opinião pública. Hillary, senadora por Nova York, tenta nos últimos dias conter a "onda" favorável a Obama, senador por Illinois, que praticamente a alcançou nas pesquisas nacionais e lidera em vários Estados que votam nesta terça-feira. "Acho que o fato de termos feito tantos progressos indica que mandamos a mensagem correta", disse Obama ao programa Today, da NBC. Mais da metade dos delegados democratas e cerca de 40% dos republicanos estão sendo definidos nesta terça-feira. Na Virgínia Ocidental, que realizou uma convenção partidária em vez de eleições primárias como na maioria dos Estados, Romney venceu o primeiro turno, mas sem maioria absoluta. O investidor Romney disse aos delegados estaduais que era o mais capacitado para lidar com a crise econômica e defender os princípios conservadores. Prêmio Máximo    Uma nova pesquisa Reuters/C-SPAN/Zogby mostra Romney sete pontos percentuais à frente de McCain na Califórnia, o principal Estado em disputa, devido ao grande número de delegados que envia à convenção nacional. Em vários outros Estados importantes, porém, McCain tem vantagens superiores a 10%. Huckabee espera ter um bom desempenho no sul, onde há forte presença de evangélicos. Entre os democratas, a pesquisa Reuters/C-SPAN/Zogby mostra Obama 13 pontos à frente de Hillary na Califórnia, onde as urnas fecham às 2h de quarta-feira (hora de Brasília). Em vários outros Estados, a disputa democrata está tecnicamente empatada. "Nenhum de nós realmente sabe o impacto que todas estas disputas terão num determinado dia", disse Hillary ao programa Good Morning America, da ABC. Hillary votou num subúrbio de Nova York, acompanhada do marido, o ex-presidente Bill Clinton. Obama voltou para Illinois após conceder várias entrevistas de rádio e TV. Os democratas distribuem os delegados segundo a proporção geral dos votos em cada Estado e também segundo o resultado individual em cada distrito dentro do Estado. Isso permite que um candidato conquiste muitos delegados, mesmo que não vença num Estado. Assessores de ambas as campanhas prevêem que a definição ainda vai levar várias semanas ou meses. Por outro lado, na disputa republicana, muitos dos 21 Estados adotaram um sistema que confere a totalidade dos respectivos delegados ao candidato que receber mais votos. Por isso, McCain pode praticamente resolver a disputa caso tenha um bom desempenho.

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICAOEUAWRAPSETE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.