Supostas bruxas são queimadas no Quênia

Multidão queimou pelo menos 30 casas em 'caça às bruxas'

Da BBC Brasil, BBC

22 de maio de 2008 | 12h10

Uma multidão enfurecida queimou vivas na terça-feira, 20, pelos menos 11 mulheres acusadas de bruxaria no distrito de Kisii, no oeste do Quênia.  Moradores do local confirmaram a matança, afirmando que durante a noite a turba passou de casa em casa seguindo uma lista com os nomes das supostas bruxas da região. O pastor Enock Obiero teve a esposa assassinada pela multidão. "A minha filha me disse não saber onde a mãe dela estava e achou que ela fugiu de casa. Eu mesmo procurei e não encontrei. Parece que ela nunca saiu de casa e deve ter morrido queimada", disse o pastor diante das cinzas que restaram de sua casa. Cerca de trinta casas foram incendiadas. O governo reforçou o policiamento na área para evitar ataques de vingança. De acordo com testemunhas, a maioria das vítimas eram quenianas entre setenta e noventa anos, embora uma delas tivesse cerca de 40 anos. Religiões tradicionais africanas, cristianismo e islamismo convivem pacificamente no Quênia, mas existem muitos problemas por suspeitas de feitiçaria, principalmente na região oeste do país. A região tem uma tradição de curandeirismo. Em 1993, oito idosas de Kisii também foram acusadas de bruxaria e queimadas até a morte por multidões.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
QuêniaÁfricabruxaria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.