Supostos skinheads podem ter agredido mais um em SP

O mesmo grupo de supostos skinheads acusado de agredir três jovens na região da Avenida Paulista, em São Paulo, na madrugada de hoje, também teria agredido um negro. De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública, testemunhas que depuseram no 78º Distrito Policial dos Jardins confirmaram o fato. Elas contaram que, antes do episódio com os três universitários, o grupo bateu num rapaz negro que passava pela Rua da Consolação. O jovem teria sido agredido com pontapés pelo grupo, mas conseguiu escapar. No ataque realizado na região da Avenida Paulista, dois irmãos, um casal e uma quinta pessoa abordaram três universitários, um rapaz e duas moças. Elas fugiram e pediram ajuda. O jovem teve escoriações, foi atendido no Hospital das Clínicas e dispensado depois. As moças pararam um carro e pediram ajuda aos três ocupantes, que chamaram a Polícia Militar. Um quinto integrante do grupo conseguiu fugir. Os acusados negaram ser skinheads, embora tenham sido encontrados com um deles uma espécie de ''diário de um skinhead'', um soco inglês e uma corrente. Eles não confirmaram a agressão contra o universitário, alegando que acabaram caindo depois de uma tumultuada saída de uma estação do Metrô nas proximidades. Uma adolescente de 16 anos que estava com o grupo, no entanto, confirmou que houve a agressão.Todas as pessoas envolvidas foram liberadas e serão submetidas a exame de corpo de delito. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Segurança Pública, não chegou a ser registrado boletim de ocorrência no 78o. Distrito Policial dos Jardins. Por se tratar de ação de menor poder ofensivo, foi lavrado um termo circunstanciado.

PAULO R. ZULINO, Agencia Estado

17 de novembro de 2007 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.