Suspeita de atirar em israelense é presa em SP

Odília, que teve prisão decretada por 30 dias, foi levada para a Cadeia Feminina de Pradópolis

Brás Henrique, de O Estado de S. Paulo,

04 Novembro 2008 | 15h04

A Polícia Civil de Sertãozinho, na região de Ribeirão Preto (SP), prendeu na manhã desta terça-feira, 4, a advogada Odília Aparecida Prudente, de 42 anos. A mulher é suspeita de ter atirado cinco vezes no israelense Amir Shaya, na semana passada, na estrada que liga Sertãozinho ao distrito de Cruz das Posses. A polícia a encontrou em sua casa, em Jaboticabal. Shaya estava no País para comprar diamantes, segundo informou ele à polícia, e Odília seria a intermediária do negócio. A advogada tinha passagens policiais por estelionato e furto. De acordo com a polícia, Odília é viúva de um nigeriano e já morou na Europa. A polícia apreendeu seis passaportes e cartões de banco na casa da suspeita. Shaya reconheceu a mulher em fotos do álbum da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sertãozinho. No momento do assalto, ele foi abordado por um ladrão, que, segundo suspeita a polícia, não sabia da existência do dinheiro - US$ 11,7 mil, 5 mil euros e R$ 6,2 mil -, pois nada foi levado.     Shaya se recuperou dos ferimentos e voltou para Israel na segunda-feira, 3. Odília, que teve prisão decretada por 30 dias, foi levada para a Cadeia Feminina de Pradópolis.

Mais conteúdo sobre:
violência SP israelense Sertãozinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.