Suspeita de gripe aviária em aves de fazenda na Alemanha

Foram detectados na Alemanha os primeiros casos suspeitos de gripe aviária em aves de fazenda. Segundo o Ministério da Agricultura do estado da Baviera, ainda não foram divulgados os resultados das análises realizadas nos animais, mas na dúvida todas as aves da granja foram sacrificadas.O Instituto Friedrich Loeffler, organismo responsável pela gripe aviária no país, deverá informar se as aves sofriam da gripe comum ou da cepa H5N1. Para esta tarde, está prevista uma entrevista coletiva, na qual serão revelados mais detalhes sobre o caso.Até agora, o vírus só foi detectado em aves selvagens, em três gatos e um furão em seis estados federados alemães, entre eles a Baviera.A maioria dos casos, incluindo os mamíferos, foram registrados na Ilha de Rügen, no de Mecklemburgo-Pomerânia.EgitoNa cidade do Cairo, as autoridades egípcias sacrificaram neste domingo pelo menos 1 milhão e 200 mil frangos em dez fazendas da província de Charquiya, na maior operação deste tipo desde que o vírus H5N1 foi descoberto no país há um mês. Junto com a Nigéria, o Egito foi um dos primeiros países africanos a descobrir casos de gripe aviária.O Governo impôs severas restrições a toda a indústria avícola, e muitas lojas retiraram os frangos e derivados de suas estantes, assim como os restaurantes, onde é difícil encontrar quem ofereça pratos à base de frango.MianmarAs autoridades veterinárias de Mianmar também confirmaram nesta segunda-feira que o vírus da gripe aviária causou a morte de centenas de frangos, o que representa a chegada da epidemia a este país do Sudeste Asiático.O vírus foi detectado mediante as análises realizadas por um laboratório australiano para o qual as autoridades birmanesas enviaram alguns dos frangos que foram encontrados mortos em uma fazenda das proximidades da cidade de Mandalay, na semana passada. O diretor do Departamento de Saúde Animal, Than Thun, afirmou que foi ordenado o sacrifício das aves que se encontrarem a um raio de três quilômetros da fazenda afetada pelo vírus.Os veterinários do Ministério de Agricultura e Pesca do país, assim como os analistas da Organização para a Agricultura e a Alimentação (FAO), advertiram várias vezes que a Birmânia não tem os recursos necessários para atuar contra qualquer epidemia.

Agencia Estado,

13 de março de 2006 | 14h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.