Suspeito de atropelar alemão é liberado após depor

Depois de prestar depoimento à polícia, o instrutor de remo Felipe Paniza, que foi considerado suspeito de atropelar e matar o alemão Christian Wölffer no mar da Baía de Paraty (no sul do Rio), na quarta-feira, foi liberado hoje. Paniza, de 27 anos, havia sido chamado à Delegacia de Polícia (DP) da cidade porque os policiais receberam uma denúncia anônima contra ele. Paniza alegou que não esteve no local do crime, e sim na Ilha Grande (na mesma região), e afirmou que a embarcação da qual é proprietário não possui motor. Wölffer, empresário alemão de 70 anos radicado nos Estados Unidos, estava hospedado na mansão do empresário Luiz Oswaldo Pastore.Foi morto quando nadava no Saco do Mamanguá - segundo a polícia, atropelado por uma lancha, cujo motor lhe provocou um corte profundo nas costas. Hoje, três pessoas prestaram depoimento e confirmaram as informações dadas pelo instrutor de remo. Esta semana, os policiais devem ouvir o casal de atores Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert, que passavam o ano-novo em Paraty e ajudaram a socorrer o empresário alemão. O crime é investigado também pela Capitania dos Portos do Estado, que tenta identificar outras embarcações que circularam por lá na quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.