Suspeito de atropelar alemão em Paraty se apresenta à polícia

Ele e mais duas pessoas que estavam no barco no momento do acidente prestam depoimento na 167ª DP

Carolina Freitas, Agência Estado

04 Janeiro 2009 | 12h50

A polícia começou a tomar na manhã deste domingo, 4, o depoimento de um suspeito de atropelar o empresário alemão Christian Martin Wölffer, de 70 anos, que vivia nos Estados Unidos. O empresário morreu no dia 31, depois de ser atingido por uma embarcação enquanto nadava em uma praia de Paraty (RJ). Ele passava o fim de ano hospedado na casa do casal de amigos brasileiros Luiz Oswaldo Pastore e Carolina Overmeer. De acordo com o inspetor Marcos Cerqueira, da 167ª Delegacia de Polícia, o suspeito apresentou-se acompanhado de um advogado por volta das 9 horas. O rapaz que pilotava a embarcação envolvida no acidente é maior de idade, mas sua identidade não foi revelada. Um casal que estava com ele no momento do atropelamento também se apresentou e presta depoimento. Até o meio-dia a polícia não havia pedido a prisão preventiva do suspeito, apenas colhia seu depoimento. Os envolvidos podem ser indiciados por homicídio culposo (sem intenção) e omissão de socorro. Os investigadores chegaram a ele por intermédio de sua mãe, localizada no sábado no município de Cunha. Depois de conversar com os policiais, telefonou para o filho e pediu que ele se apresentasse. Segundo Cerqueira, o suspeito estava em Ilha Grande. Wölffer nadava a poucos metros da praia no Saco de Mamanguá quando atingido. Ele pediu socorro e foi imediatamente atendido por amigos. Teve ferimentos profundos nas costas, sangrava muito e morreu na ambulância a caminho do hospital.

Mais conteúdo sobre:
morteParatyRioalemão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.