Suspeito de tráfico morre e PM é baleado no Alemão (RJ)

Um suspeito de envolvimento com o tráfico morreu e um policial militar foi baleado, na tarde desta terça-feira, durante uma troca de tiros na Favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro.

MARCELO GOMES, Agência Estado

27 de novembro de 2012 | 18h17

Quatro policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília faziam um patrulhamento a pé por vielas da comunidade quando se depararam com um grupo de três suspeitos, por volta das 15h30. "Os quatro policiais se dividiram em dois grupos para patrulhar os becos da favela. Ao avistarem dois PMs, os bandidos começaram a atirar e correram na direção contrária, mas deram de frente com outros dois policiais. Houve troca de tiros. Um bandido e um policial foram feridos, um suspeito foi preso e outro conseguiu escapar", relatou o capitão Márcio Rodrigues, comandante da UPP Nova Brasília.

Os feridos foram levados à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Complexo do Alemão. O suspeito, ainda não identificado, não resistiu. Ele foi atingido por um tiro na cabeça e outro no abdômen. Com ele, foi apreendida uma pistola calibre 45.

O policial, identificado como soldado Mesquita, foi baleado nas costas, na altura dos rins. Ele já teve alta e passa bem. "O tiro perfurou o colete à prova de balas e me atingiu nas costas, mas não chegou a perfurar. O colete amorteceu o projétil", explicou o soldado.

O suspeito preso tem 16 anos. Com ele, foi apreendida uma réplica de fuzil. O caso foi registrado na 22ª Delegacia de Polícia (Penha).

Histórico da UPP

A UPP Nova Brasília foi inaugurada em abril deste ano, após 16 meses de ocupação pela Força de Pacificação do Exército. Na madrugada de 21 de agosto, o soldado Vinícius Barbosa Ferreira, de 29 anos, foi baleado no braço por um suspeito. Os PMs foram conferir uma denúncia de que traficantes estariam na Travessa José Bonifácio quando viram um homem pulando um muro. Ele atirou na direção dos PMs, e atingiu Ferreira no braço.

Na noite de 23 de julho, a soldado Fabiana Aparecida de Souza, de 30 anos, morreu após um ataque de traficantes à sede da UPP. Fabiana, que saía de uma lanchonete próxima à sede da UPP, foi atingida por um tiro de fuzil 762. O projétil atravessou o colete à prova de balas que ela vestia. A soldado foi socorrida e levada à UPA do Complexo do Alemão, onde morreu. Foi o primeiro caso de assassinato de policiais em UPPs - o programa teve início no Morro Dona Marta, em Botafogo, na zona sul, em dezembro de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
tirosComplexo do AlemãoRJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.