Suspender aulas reduziu contágio da gripe suína

O fechamento de escolas diminuiu em cerca de 10% o contato direto entre estudantes e reduziu a expansão da epidemia de gripe suína em até 21% em oito países europeus que adotaram a medida neste ano.

Reuters, LONDRES, O Estadao de S.Paulo

28 de novembro de 2009 | 00h00

As conclusões são de uma pesquisa feita na Universidade de Hasselt, na Bélgica, e publicada na revista científica BioMed Central Infectious Diseases. Foram usados dados da Grã-Bretanha, Finlândia, Alemanha, Itália, Luxemburgo, Polônia e Holanda.

"As crianças são agentes importantes de propagação de muitos vírus e bactérias por causa do contato direto e frequente", explica Niel Hens, responsável pelo estudo. "Nossos resultados mostram que o fechamento de escolas tem impacto significativo na transmissão de uma doença", conclui.

O próprio pesquisador ressalva, no entanto, que a medida tem fortes impactos sociais e econômicos, que devem ser analisados pelos governos. Isso porque muitos trabalhadores precisariam ficar em casa para cuidar de seus filhos. "É preciso analisar se o impacto na sociedade sobressai em relação aos benefícios para a área da saúde", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.