Tailândia prende dezenas durante protesto contra primeira-ministra

A polícia tailandesa atirou gás lacrimogêneo em manifestantes e prendeu dezenas em protesto neste sábado que pedia a queda da primeira-ministra Yingluck Shinawatra, na maior protesto contra o governo dela nos 16 meses de mandato.

Reuters

24 de novembro de 2012 | 10h11

Manifestantes do grupo monarquista Pitak Siam, liderado pelo ex-general militar Boonlert Kaewprasit, tentaram passar pelos cordões de isolamento capital tailandesa e usaram até um caminhão, mas foram contidos.

Eles acusam a premiê de corrupção, de ser uma marionete do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra --irmão dela-- e de deslealdade à monarquia tailandesa.

Muitos dos manifestantes tiveram participação no golpe de generais monarquistas em 2006 que derrubou Thaksin.

Yingluck venceu as eleições em 2011 com grande maioria entre os pobres das regiões rurais e urbanas. Seus partidários, que usam camisas vermelhas nos protestos, realizaram grandes manifestações em 2010 contra um governo democrata apoiado pelos militares. O Exército reprimiu os protestos, e 91 pessoas morreram.

(Por Aukkarapon Niyomyat e Amy Sawitta Lefevre)

Tudo o que sabemos sobre:
TAILANDIAPROTESTOSGOVERNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.