Tailândia prende pedófilo procurado pela Interpol

Professor canadense, alvo de caçada internacional, tinha fugido para nordeste do país.

BBC Brasil, BBC

19 de outubro de 2007 | 06h50

A polícia da Tailândia prendeu, nesta sexta-feira, o suposto pedófilo que vem sendo procurado desde que a Interpol lançou um apelo internacional por sua captura na semana passada.Christopher Paul Neil, um professor de inglês canadense de 32 anos, foi preso na província de Nakhon Ratchasima, a 250 km da capital Bangcoc.A polícia estava na região desde a noite desta quinta-feira depois de ter recebido informações de que o suspeito teria fugido para o local, que é uma das áreas mais pobres da zona rural tailandesa. Neil será levado para Bangcoc ainda nesta sexta-feira onde será interrogado. A Interpol lançou um apelo internacional para identificação do suspeito no início da semana passada, depois de ter descoberto 200 fotos na internet em que ele aparece abusando de 12 meninos. A organização, que tem sede em Lyon, na França, recebeu mais de 350 mensagens depois de lançar o apelo. O suposto pedófilo foi identificado por cinco fontes diferentes em três continentes como um homem que ensinava inglês na Coréia do Sul.Na última terça-feira, a organização divulgou uma imagem captada por uma câmera de segurança mostrando o homem chegando ao aeroporto de Bangcoc no dia 11 de outubro, vindo da Coréia do Sul.Um dia depois o chefe da Interpol na Tailândia divulgou a identidade do suspeito e revelou que o canadense tinha trabalhado em uma escola internacional na Tailândia entre 2003 e 2004.As fotos descobertas pela Interpol na internet haviam sido distorcidas digitalmente para esconder o rosto do pedófilo, mas especialistas em computação da Agência de Polícia Federal na Alemanha conseguiram reproduzir o rosto do suspeito de forma que ficasse identificável.A polícia acredita que as fotos tenham sido feitas no Vietnã e no Camboja em 2002 e 2003.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.