Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Tarifas de R$ 3 em SP retornam na segunda-feira, 24

Além da revogação do aumento das passagens de ônibus da capital paulista, do metrô e dos trens, que voltarão a custar R$ 3,00, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito Fernando Haddad revogaram o reajuste da tarifa de integração entre os modais, de R$ 5 para R$ 4,65. Segundo o prefeito, o retorno ao preço original será na próxima segunda-feira, 24, pois é preciso ajustar as máquinas leitoras.

GUSTAVO PORTO E CARLA ARAÚJO, Agência Estado

19 de junho de 2013 | 18h53

Alckmin afirmou que a decisão foi tomada de forma conjunta e é fruto de um "esforço importante". "É um sacrifício grande, vamos ter que sacrificar investimentos. O Tesouro paulista vai arcar", disse, referindo-se ao valor de trens e metrô, que são de responsabilidade do governo estadual.

Já Haddad repetiu as palavras do governador, disse que "não há como fazer redução de tarifas sem comprometer investimentos" e avaliou que a realocação do orçamento será discutida com a população nas subprefeituras.

Haddad lembrou ainda que os reajustes ocorreram com a medida provisória do governo federal que desonerou de PIS/Cofins o transporte publico, o que "foi ruim para o debate" e causou confusão, pois sinalizaria uma redução no preço das tarifas.

Sem citar explicitamente os protestos que aconteceram na capital paulista, Alckmin afirmou que o governo tem compromisso com a tranquilidade da cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
tarifasAlckminHaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.