Tati Szeles, mostra esse quiabo!

Aos 17 anos, Tatiana Szeles foi ao Texas em um programa de intercâmbio e trouxe de volta ao País, além do sotaque americano característico da região, um vício. ''Fiquei maluca por quiabo.'' A chef paulista, que não tinha o costume de comer quiabo em casa, apaixonou-se por seu gosto e aparência de maneira tão devastadora que, você já percebeu, tatuou um quiabo no antebraço. Em férias em Salvador, em uma manhã pouco ensolarada no Porto da Barra, praia abençoada pela Baía de Todos os Santos, Tati Szeles vestiu sua roupa de marinheira e exibiu, orgulhosa, a tatuagem para as fotos. ''O quiabo parece que é mais bonito na Bahia e ninguém torce o nariz para o ingrediente, como acontece muito em São Paulo. Após uma temporada aqui, fiquei mais quiabenta.'' Preparando a abertura próxima de um restaurante nos Jardins, Tatiana avisou que vai investir em pratos com quiabo. Depois das fotos, aproveitou o entusiasmo pelo quiabo e foi ao Paraíso Tropical, de Beto Pimentel, provar o caruru versão moderninha.

Giovanna Tucci, O Estado de S.Paulo

17 Julho 2008 | 03h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.