Taxa de divórcios supera a de separações, aponta o IBGE

Ampliação do acesso aos serviços de Justiça colaborou para o registro da maior taxa de divórcios já apurada

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

25 de novembro de 2009 | 10h56

O crescimento da taxa de divórcios superou o de separações no Brasil em 2008, relativamente a 2004, segundo mostra a pesquisa de Registro Civil divulgada nesta quarta-feira, 25, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o levantamento, para a população com 20 anos ou mais de idade, a taxa de separações foi de 0,8 por mil em 2008 (0,8 separações por cada mil pessoas de 20 anos ou mais de idade), igual a apurada em 2004, enquanto a de divórcios ficou em 1,5 por mil, a maior já apurada pelo instituto.   Veja também: Preço mais baixo faz mais pessoas optarem pelo casamento Cresce o número de registros de nascimentos no País, diz IBGE  Norte teve maior índice de mortes violentas em 2008, aponta IBGE   Segundo o documento de divulgação da pesquisa do IBGE, "a elevação do número de divórcios em relação ao de separações, ocorrida no período compreendido entre 1998 e 2008, se explica pela maior aceitação do divórcio no Brasil e pela ampliação do acesso aos serviços de Justiça, além da possibilidade de realizar os divórcios nos tabelionatos, o que desburocratiza este evento para os casos previstos em lei".   Em 2008, os divórcios diretos, ou seja, aqueles que não passam por uma separação judicial anterior, representaram 70,1% do total registrado no País, enquanto os divórcios indiretos representaram 29,8% e 0,1% não tiveram tipo declarado. Em relação à natureza das separações realizadas no Brasil, em 2008, a maior parte delas foi consensual (76,2%).   A maior proporção de casos consensuais foi observada no Mato Grosso do Sul (87,5%), enquanto as proporções mais elevadas de separações não consensuais foram observadas em Pernambuco (48,8%) e Alagoas (46,7%). Nos casos de divórcios, a hegemonia na guarda dos filhos menores foi das mulheres. Em 2008, 88,7% dos divórcios concedidos no Brasil tiveram a responsabilidade pelos filhos concedida às mulheres, segundo a pesquisa. "Esse elevado porcentual de responsabilidade para com a guarda dos filhos menores é um dos fatores que explica o maior número de homens divorciados que recasam com mulheres solteiras", diz o documento de divulgação.

Tudo o que sabemos sobre:
divorcioseparacaoIBGE2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.