TCE suspende licitação de monotrilho em São Paulo

Construção deve ligar a Vila Prudente à Cidade Tiradentes, no prolongamento da Linha 2 do Metrô

Eduardo Reina, O Estadao de S.Paulo

23 Dezembro 2009 | 00h00

Menos de um mês depois de se anunciar a construção do monotrilho que vai ligar a Vila Prudente à Cidade Tiradentes, no extremo da zona leste, no prolongamento da Linha 2-Verde do Metrô, a licitação internacional que ainda vai definir a empresa que construirá o sistema foi suspensa pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O conselheiro Antonio Roque Citadini concedeu duas liminares pedidas pelo consórcio Construcap/CCPS Engenharia e Comércio e pelo Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (Simefre), suspendendo a concorrência. São apontadas pelos empreiteiros possíveis irregularidades na disputa, como a restrição da tecnologia adotada e consequente direcionamento do certame, a ausência de projeto básico para obra de tamanha complexidade, inexistência de planilhas de preços estimados e até mesmo risco ambiental, uma vez que não há estudo de impacto ambiental e de interferência na vizinhança, entre outros problemas.

A abertura dos envelopes com as propostas estava marcada para ontem. O Metrô publicou ontem também no Diário Oficial do Estado um aviso de suspensão do certame até uma nova decisão do TCE. O governo tem 48 horas para apresentar justificativas para os problemas, mas o prosseguimento da licitação esbarra no recesso que o tribunal vai cumprir de 24 de dezembro até 11 de janeiro.

Além disso, a continuidade da disputa só poderá acontecer após o julgamento das duas representações, o que é feito pelo plenário do TCE. E a primeira sessão do ano é agendada só para o começo de fevereiro de 2010. Enquanto isso, segundo o tribunal, o processo fica em instrução e a licitação, parada.

No dia 23 de novembro, o governador José Serra (PSDB) anunciou o prolongamento do metrô entre Vila Prudente e Cidade Tiradentes, com instalação de monotrilho, por 23,8 km. A licitação foi aberta no dia 30 de outubro. O projeto tem custo estimado em cerca de R$ 2,8 bilhões para a construção de monotrilho suspenso em pilares no meio de avenidas.

A obra foi dividida em três etapas. A primeira fase, de 2,4 km, liga a Vila Prudente e ao Oratório, com previsão de conclusão em 2010. O governo utilizou uma licitação antiga que era destinada à extensão do metrô até Oratório. São previstas 17 estações e 54 composições. A conclusão do restante da linha é prevista para 2013.

ESCLARECIMENTOS

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos informou que enviará esclarecimentos ao TCE. O governo alegou que consórcio e sindicato querem confundir o processo, pois o objeto da contratação é para a "adoção de um sistema de Metrô denominado monotrilho, no qual predomina o fornecimento do material rodante, acoplado a uma viga de rolamento que se torna singular à cada tecnologia empregada, com a execução no regime de empreitada integral".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.