Técnica recupera voçoroca

Método utiliza barreiras físicas para conter processo erosivo e[br]promove a revegetação da área com leguminosas

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2008 | 00h39

O mau uso do solo provoca um problema verificado no País inteiro: as voçorocas. Caracterizadas por depressões e sulcos no relevo do terreno, além de provocarem a perda de 600 milhões de toneladas de solo por ano, as voçorocas assoreiam rios e outros corpos de água. ''É a erosão em estágio avançado'', explica o pesquisador Alexander Silva de Resende, da Embrapa Agrobiologia. Há cinco anos, a Embrapa iniciou, no município de Pinheiral (RJ), projeto de recuperação de áreas atingidas por voçorocas.Uma das soluções propostas pelos pesquisadores é a construção de ''paliçadas'', barreiras físicas feitas de bambu ou pneus velhos. ''Essas barreiras diminuem o impacto da água das chuvas na área já degradada'', diz Resende. Com as barreiras segurando os sedimentos, faz-se, em seguida, no entorno e no fundo da voçoroca, o plantio de mudas de plantas para promover a revegetação do local.MÉTODO SIMPLESA metodologia é simples e tem sido aplicada com sucesso. Segundo a Embrapa, a contenção alternativa reduz o carreamento de sedimentos em 90% já no primeiro ano e, após cinco anos, atinge 98%, auxiliada pela cobertura vegetal formada por folhas e galhos. ''Essa manta orgânica atua como uma ''esponja'', que amortece o impacto da água, promove a infiltração mais lenta e freia o efeito erosivo.''O número de paliçadas varia conforme o tamanho da voçoroca, mas, em geral, coloca-se uma barreira a cada 5 metros, em pontos da voçoroca nos quais a terra ainda está firme. No caso do bambu gigante, deve-se usá-lo ainda verde. ''Colocamos as paliçadas apoiadas e encravadas no terreno firme das laterais.'' A paliçada de bambu é formada por dois ou três colmos na vertical e os demais na horizontal, presos com arame queimado, formando um ''muro''. Em seguida, do lado da chegada da água, a paliçada é coberta por sacos de ráfia, que servem como um ''filtro'' de sedimentos.Com os pneus, são colocados bambus no centro e, em cada bambu, são encaixados cinco pneus. Em seguida, os pneus são enchidos com terra e, na frente, são colocados sacos de ráfia presos com arame.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.