Técnico lamenta falta de opções

Muricy Ramalho está com problemas para armar o Palmeiras. Mano Menezes e Ricardo Gomes não sofrem na hora de escalar Corinthians e São Paulo, respectivamente. O treinador alviverde gostaria de estar na mesma posição dos rivais.

, O Estadao de S.Paulo

31 de janeiro de 2010 | 00h00

"O que o São Paulo e o Corinthians estão fazendo é o correto", disse, sobre o revezamento de jogadores que os técnicos têm promovido. "É impossível treinar sete dias apenas. É um absurdo o que se faz com o jogador. Mas todos têm de estar lá no jogo, afinal, há patrocinadores, a tevê..."

Muricy está inconformado com o número de jogadores lesionados no clube. Diego Souza, Léo e Cleiton Xavier sentiram dores musculares em apenas quatro rodadas. "Se ficar treinando e jogando no ritmo atual, vai estourar mesmo", alertou o técnico. "É o que está acontecendo. Os jogadores não estão preparados para esse ritmo."

Temendo novas contusões, Muricy foi obrigado a mudar a rotina de treinamentos. Nos dias seguintes aos jogos, os titulares só vão a campo para uma corridinha leve. Depois, nada de coletivos: apenas um treino tático ou técnico. "Não podemos pegar pesado", disse.

O treinador ainda espera definição da diretoria para inchar o elenco. Luiz Gonzaga Belluzzo prometeu dois atacantes e, talvez, um zagueiro. Muricy também quer um meia. "As contratações vão chegar, mas está difícil. Não traremos qualquer jogador só para dizer que trouxemos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.