Tecnologia barrou expansão da cana

A tecnologia se tornou necessária para compensar o alto valor das terras do sudoeste, cobiçadas pelos produtores de cana. Conforme o agrônomo Ishimura, o produtor de grãos já disputa as terras em igualdade de condições com a usina. ''Aqui, o grão barrou a expansão da cana.'' O agricultor Amarildo Lemes dos Santos, que administra a Fazenda Aliança, em Buri (SP), conta que, ''com o aumento na produtividade, as plantadeiras e colhedoras de menor porte perderam a utilidade''. As compras já programadas são de plantadeiras com controle eletrônico na quantidade e profundidade da semente e adubo. No caso dessas máquinas, o problema é a fila de espera. ''As principais marcas só prometem entrega para depois de agosto.'' Santos conta que, graças à modernização, foi possível reduzir de 12 para 8 o número de funcionários para cuidar de 1.100 hectares de lavoura.

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2008 | 03h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.