Tecnologia será difundida

Embora seja prática básica em qualquer lavoura, a análise de solo não é comum entre os produtores e será estimulada. Outra tecnologia a ser difundida é o plantio adensado. A média no Espírito Santo é de 2.500 plantas/hectare, mas o programa vai incentivar o plantio de até 5 mil plantas/hectare. "O adensamento protege contra a erosão, diminui a incidência de raios solares no solo e reduz o crescimento de mato. São essas vantagens que passaremos ao produtor", diz agrônomo Romário Ferrão. Como complemento à capacitação, estão sendo instaladas 40 lavouras, de 1 hectare. "No campo, o produtor se convence de que é possível produzir 20, em vez de 10 sacas/hectare", diz. Para o produtor José Côco Camporez, de Brejetuba, o ponto mais importante é a informação. "Parece pouco, mas saber como coletar solo para análise significa muito", diz. "Com o programa, quero chegar a 50 sacas/hectare. Com informação, é possível."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.