Telefónica prepara oferta conjunta por TIM Participações, diz jornal italiano

As ações da Telecom Italia se aproximaram de uma máxima de dois meses nesta sexta-feira, impulsionadas por reportagem de que a espanhola Telefónica estaria trabalhando em uma oferta conjunta pela TIM Participações, controlada pelo grupo italiano e que seria desmembrada.

STE, Reuters

03 de janeiro de 2014 | 11h38

A fatia de 15 por cento da Telefónica na Telecom Italia resultou em problemas antitruste no Brasil, porque ambas as empresas têm operadoras móveis concorrentes no mercado brasileiro.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) disse no mês passado ao grupo de telecomunicações espanhol que ou venda sua posição indireta na TIM Participações ou busque um novo parceiro para o seu negócio de telefonia móvel Vivo.

O jornal italiano Il Sole 24 Ore publicou nesta sexta-feira que a Telefónica estaria buscando criar um veículo de investimento com as rivais no mercado brasileiro América Móvil, dona da Claro, e Oi para comprar a TIM Participações e dividí-la.

O jornal disse que o banco de investimentos BTG Pactual estaria trabalhando no negócio.

O jornal acrescentou que uma oferta pela TIM Participações poderia ocorrer antes do fim do mês, e disse que o Conselho da Telefónica se reunirá no início da próxima semana para discutir o assunto.

A Telecom Italia disse em comunicado nesta sexta-feira que desconhecia qualquer oferta por sua unidade brasileira.

"A Telecom Italia... mais uma vez declara que a empresa brasileira é um ativo estratégico", disse em comunicado.

A Telefónica se recusou a falar sobre o assunto. O BTG Pactual também não fez comentários.

Às 11h34 (horário de Brasília), as ações da Telecom Itália subiam quase 7 por cento na Bolsa de Milão, a 0,757 euro, reagindo à reportagem, segundo operadores. Na Bovespa, as ações da TIM Participações avançavam 7,26 por cento, a 13 reais.

"Embora o presidente-executivo da Telecom Italia (Marco) Patuano tenha reiterado o caráter estratégico da TIM Participações, a venda pela Telecom Italia sempre parece a solução mais provável para atender às condições estabelecidas pelo antitruste brasileiro", disse a corretora italiana ICBPI em relatório nesta sexta.

Pessoas familiarizadas com os planos da Telefónica disseram à Reuters semanas atrás que o grupo espanhol pretendia desmembrar a TIM Participações e dividir seus ativos e rede entre ela e as outras duas operadoras de telefonia móvel no Brasil.

Mais conteúdo sobre:
TELECOMTELEFONICATIM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.