Telemar unifica serviços e adota marca única ´Oi´

O nome Telemar deixará de existir. A partir desta quarta-feira, 28,, a empresa de telecomunicações que atua em 16 Estados adotou a marca única Oi - antes usada apenas para telefonia móvel - para todos os serviços de telefonia fixa, celular, internet e entretenimento. Segundo a empresa, será lançada na quinta uma campanha publicitária para comunicar ao cliente a unificação dos serviços na mesma marca. A operadora não revela o patamar de investimentos que serão alocados com a mudança. A marca Telemar existia desde 1998, quando houve a privatização do setor de telecomunicações. O presidente da empresa, Luiz Eduardo Falco, explicou que o objetivo é levar uma maior convergência de serviços para o consumidor, com mais "simplicidade". Para ele, as operadoras que não se renderem à convergência de serviços terão uma dura competição pela frente. "Muitas operadoras seguirão o exemplo da Oi no futuro", disse, acrescentando que, na França, a empresa Orange adotou a mesma postura de convergência de serviços e marca única. Com a mudança, os serviços de telefonia fixa da empresa são agora denominados "Oi fixo". Já o serviço de banda larga passa a se chamar Oi Velox. Por sua vez, a novidade de serviço fixo e móvel em um único aparelho terá o nome "Oi Flex". A partir de 20 de março, a cor da conta de telefone fixo do usuário vai mudar, mas ainda permanecerá o logotipo antigo da Telemar. Mas a partir de agosto, todas as contas de telefone fixo terão o logotipo e a cor da marca "Oi Fixo". Durante o anúncio da unificação dos serviços em uma mesma marca, o executivo informou que, este ano a companhia pretende manter a média de investimentos que realiza anualmente, que é de R$ 2,4 bilhões. Ao comentar sobre o cenário atual da empresa, esclareceu que mais de dois milhões de pessoas já aderiram aos novos planos de minutos da Telemar. O executivo fez referência às novas regras do setor de telecomunicações que prevêem a migração dos planos de telefonia fixa dos antigos "pulsos" para minutos. Atuação nacional Para Falco, apenas "com um decreto presidencial" a sua empresa poderia exercer o serviço de telefonia fixa fora da Região 1 - área da Oi que abrange 16 Estados. O executivo fez o comentário ao ser questionado por jornalistas sobre as possíveis aquisições que a Telemar poderia fazer para conseguir se tornar uma empresa de abrangência nacional, e lembrou que as regras do setor, estabelecidas na época da privatização, impedem que a companhia exerça esse tipo de serviço fora de sua área. Mas observou que não pediu nada nesse sentido, diretamente, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Se eu pedi isso para o Lula? Quem sou eu...", brincou.

Agencia Estado,

28 Fevereiro 2007 | 18h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.