Telemig Celular, agora da Vivo, faz 1ª transmissão 3G

Nova tecnologia representa um salto na qualidade de serviços multimídia, possibilitando oferta de banda larga no celular, com velocidades de até 14,4 Mbps

Eduardo Kattah, da Agência Estado,

03 Agosto 2007 | 20h45

Um dia depois de confirmada a venda para a Vivo, a Telemig Celular, operadora de telefonia móvel que atua em Minas Gerais, em parceria com a Ericsson, realizou nesta sexta-feira, 3, em Belo Horizonte, a primeira transmissão no País de dados e voz utilizando a tecnologia de terceira geração (3G), baseada no padrão WCDMA/HSPA.   A nova tecnologia representa um salto na qualidade de serviços multimídia, possibilitando oferta de banda larga no celular, com velocidades de até 14,4 Mbps. O ministro das Comunicações, Hélio Costa, participou da solenidade e da primeira video-chamada. "Sinaliza uma nova forma de as pessoas se comunicarem", disse o presidente da Telemig, André Mastrobuono. "A velocidade de transmissão vai aumentar até 20 vezes em comparação com a atual."   O lançamento comercial do serviço está previsto para o Natal deste ano, na capital mineira.   Entenda a tecnologia 3G   As chamadas redes 3G se referem às malhas de telefonia celular de terceira geração, que recebem este nome por oferecerem qualidade digital nas ligações e maior velocidade de transmissão para dados.   Sucedem, portanto, as redes 1G, ou de 1ª geração, analógicas, como as utilizadas no início da telefonia celular no Brasil. Em São Paulo, especificamente, esse padrão foi o adotado pela então Telesp Celular. O sinal analógico se caracterizava pelo foco em voz, ausência de transmissão de dados e possuía problemas com interferências vindas de outras fontes de sinais eletromagnéticos.   As chamadas redes 2G, as primeiras digitais que conviveram por um tempo com as redes analógicas de 1ª geração, começaram no País com a implantação dos primeiros sistemas digitais no chamado padrão TDMA. O grande benefício deste sistema era uma maior clareza do sinal e a possibilidade de transmitir algum tipo de conteúdo por meio das redes celulares; essencialmente mensagens de texto (SMS). Nestas redes, nem todos os aparelhos eram capazes de enviar conteúdos: alguns só recebiam passivamente as mensagens.   Mas antes que as redes 3G chegassem ao País, houve uma geração 'intermediária', a chamada 2,5G, implantadas no Brasil a partir de 2001 e que já traziam como benefício uma maior velocidade para transmissão de dados, ainda não com a velocidade das redes 3G. É desta época a implantação das chamadas redes 1xRTT (Vivo, com até 144 Kbps, ou kilobits por segundo) e GSM/GPRS (com até 384 Kbps).   O Brasil entrou na era 3G, oficialmente, em outubro de 2004, com o lançamento da primeira rede 3G da Vivo no padrão CDMA 1xEV-DO (Evolution Data Optimized), com velocidade de dados de 2,4 Mbps (megabits por segundo), suficiente para prover acesso móvel a conteúdos multimídia, como música, vídeos e jogos, bem como a navegação na internet e o acesso a e-mail.   Agora, o acesso rápido à internet em redes móveis ganha a competição da Telemig Celular, com o lançamento da primeira rede 3G do País com o padrão WCDMA/HSPA, que, em condições ideais, pode apresentar velocidades de até 14,4 Mbps.

Mais conteúdo sobre:
Tecnologia 3G

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.