Telescópio europeu fotografa destruição de galáxia

O Observatório Europeu Sul (ESO), localizado no Chile, produziu imagens de três galáxias, uma das quais parece destinada à destruição: a galáxia NGC 1427A, a cerca de 60 milhões de anos-luz da Terra, na direção da constelação da Fornalha, está mergulhando num aglomerado de galáxias à velocidade de 600 km/s. Ela assumiu a forma de uma ponta de flecha, ao ser comprimida pelo gás interestelar. Essa pressão dá origem a várias novas estrelas, mas o futuro de NGC 1427A não é promissor: a galáxia será destroçada e suas estrelas, espalhadas em meio ao aglomerado. As outras galáxias fotografadas pelo ESO têm vidas menos agitadas, mas ainda são oferecem imagens magníficas: NGC 908, localizada a 65 milhões de anos-luz, foi descoberta em 1786 por William Herschel e é uma galáxia onde estrelas nascem num ritmo frenético. Aglomerados de jovens estrelas podem ser vistos nos braços espirais. Duas supernovas, ou explosões estelares, já forma registradas nessa galáxia, no passado recente: uma em 1994 e outra em maio deste ano.A terceira galáxia, ESO 269-G57, fica a cerca de 155 milhões de anos-luz e tem 200.000 anos-luz de diâmetro. Também é uma galáxia espiral, e possui um "anel" interior de braços espirais bem apertados, cercado por dois braços que parecem divididos em diversas ramificações.

Agencia Estado,

26 de julho de 2006 | 13h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.