TeliaSonera rejeita oferta de US$41 bi da France Telecom

Para presidente do grupo, oferta em dinheiro e ações está 'significativamente' abaixo do valor real do grupo

ASTRID WENDLANDT E SVEN NORDENSTAM, REUTERS

05 Junho 2008 | 08h28

A France Telecom fez uma oferta de 41 bilhões de dólares pela TeliaSonera, com o intuito de criar a terceira maior operadora de banda larga do mundo e a quarta gigante mundial no setor de telefonia móvel, mas a companhia nórdica rejeitou a proposta. A France Telecom, procurando reduzir custos e expandir nos mercados emergentes, afirmou que deseja fazer uma aproximação amistosa. O presidente-executivo da TeliaSonera, Tom von Weymarn, afirmou que a oferta em dinheiro e ações está "significativamente" abaixo do valor real do grupo. As ações da France Telecom caíam 4,1 por cento, para 18,43 euros na pela manhã, enquanto a TeliaSonera disparava 7,9 por cento para 58 coroas norueguesas, acima do valor da oferta, de 55,2 coroas. A maior companhia de telecomunicações da França em linhas fixas e móveis afirmou que a oferta, no valor de 248 bilhões de coroas suecas (41,1 bilhões de dólares) nos preços atuais das ações, tem o valor adequado e que não planeja mudar os termos. A empresa se deu duas semanas para decidir se fará uma oferta formal. "O atual contexto de consolidação parece inevitável atingir a massa crítica", afirmou o presidente-executivo da France Telecom, Didier Lombard, em conferência. A France Telecom, que opera principalmente através da marca Orange, afirmou que a combinação das empresas pode chegar a 237 milhões de clientes em 30 países. Alguns analistas, contudo, questionaram o interesse da operadora francesa pelo grupo nórdico, afirmando que os benefícios da combinação não estão claramente definidos.

Mais conteúdo sobre:
TELECOM TELIASONERA OFERTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.